fazer poesia com as próprias mãos


semana passada um amigo me mandou um vídeo sobre um senhor japonês cuja paixão é fabricar piões manualmente. difícil descrever - nenhuma palavra substitui a experiência de ver (você pode ver o link aqui embaixo) e ouvir Masaaki Hiroi, esse artista artesão, falando sobre seu processo criativo e o significado que isso tem em sua vida.

ele não faz somente piões comuns. os dele são parte de estruturas maiores, como uma boneca que passa pó de arroz no rosto, a que toca violão, ou outra que come macarrão. os piões girando impulsionam o movimento e dão vida às criaturas. são aquelas coisas extremamente complexas por sua simplicidade e riqueza. para mim, é uma forma de criar poesia, poesia viva.

mas o que me leva a falar sobre Masaaki Hiroi não é esse resultado magnífico de suas criações. é o que ele ensina com seu fazer. primeiro, porque seus objetos poéticos encantam igualmente (igualmente mesmo!) pessoas de qualquer idade. como arte, não tem idade para apreciar. causam um tipo de espanto que surge sempre que vemos algo desconhecido e belo; e por essa experiência durar o tempo que o giro do peão consegue se manter, sentimos por um instante a efemeridade do tempo. o movimento termina logo, o encanto se esconde e fica uma sensação de que tinha uma vida ali, já desaparecida. como quando as crianças têm a certeza de que os bonecos se movimentaram durante a noite, mas sempre que ela tenta espiar, pronto, tudo congelou novamente. ainda assim a experiência foi vivida, não mais na imaginação que na vida real.

outra razão para falar sobre esse senhor é ele ensinando quando fala de sua arte: que as mãos se movem e realizam o trabalho antes de pensar em desenhar um projeto. acho bonito imaginar que as mãos podem ter vida própria, sendo mais ágeis que o pensamento por se conectarem de outra forma com o criar -- realizando antes de tudo sonhos, mais que ideias. um pouco como manter vivo o modo de ver de uma criança pequena, que pensa imagens e não palavras.

Masaaki Hiroi aprendeu o ofício de fazer piões do seu pai, que herdou a sabedoria do avô. e apesar de ter ganhado fama pelo preciosismo de sua arte, chegou a ser desprezado no Japão, onde a princípio sua forma de inovar uma antiga tradição foi vista com maus olhos. só depois de ter sido convidado a expor seu trabalho em Paris, nos anos 80, ganhou o reconhecimento que merecia, ensinando que a tradição se mantém enquanto se recria.

fica o video, que é insubstituível, o que eu queria mesmo mostrar:

https://www.youtube.com/watch?v=W_-GuJSF8iU

____

** é possível comprar uma obra de arte de Hiroi aqui: http://www.japanuniquegifts.com/product-list/1

fonte: http://www.yaqmo.com/edo-spinning-tops-by-masaaki-hiroi/

Recent Posts
Archive